Home >> Artigos

Solenidade da Epifania do Senhor

Irmã Vania Daniele, mnsg

PREPARAR-SE: Faço silêncio interior e exterior. Respiro lentamente, suavemente. Tomo consciência de que estou na presença de Deus. Faço com devoção o sinal da cruz.

Espírito Santo vem! Difunde um raio da tua luz. E esclarece a minha mente. Torna-me santo na tua santidade. Livra-me do mal e orienta ao bem, meus pensamentos, palavras e ações. Enche com tua riqueza a minha pobreza, os meus olhos com tua beleza, para que me ocupe somente dos bens dos céus. Doa-me a paz que não encontro se a procuro longe de ti. Faze com que eu te deseje presença suave que faz esquecer todo cansaço. Culmina-me da tua graça para que eu viva da tua vida. Grava em mim a tua palavra. Conhecendo-a, a ame e amando-a, a viva. Sem ti nada em mim é bom. Orienta o meu coração ao bem. E culmina-me com teus santos dons Espírito de Verdade e Santidade. Ensina-me a viver da tua graça. Peço-te isso como único bem que posso apreciar e procurar. Amém!

LEITURA

O que o texto diz?

1Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém, 2 perguntando: 'Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer?
Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.' 3
Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbado assim como toda a cidade de Jerusalém. 4 Reunindo todos os sumos sacerdotes e os mestres da Lei, perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer. 5Eles responderam: 'Em Belém, na Judéia, pois assim foi escrito pelo profeta: 6 E tu, Belém, terra de Judá, de modo algum és a menor entre as principais cidades de Judá, porque de ti sairá um chefe que vai ser o pastor de Israel, o meu povo.' 7 Então Herodes chamou em segredo os magos e procurou saber deles cuidadosamente quando a estrela tinha aparecido. 8 Depois os enviou a Belém, dizendo: 'Ide e procurai obter informações exatas sobre o menino. E, quando o encontrardes, avisai-me,
para que também eu vá adorá-lo.' 9
Depois que ouviram o rei, eles partiram.
E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até parar sobre o lugar onde estava o menino. 10
Ao verem de novo a estrela, os magos  sentiram uma alegria muito grande. 11Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram. Depois abriram seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra. 12Avisados em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram para a sua terra, seguindo outro caminho.
Palavra da Salvação.

MEDITAÇÃO:

Leio o texto devagar, saboreando as palavras que mais me "tocam". Converso com Deus como um amigo: falo, escuto, peço, louvo, pergunto, silêncio, seguindo os sentimentos experimentados na oração.

O que o texto diz para mim?

Celebramos neste domingo a solenidade da Epifania do Senhor, dando continuidade, ainda, ao tempo do Natal. A palavra epifania significa:  manifestar, aparecer, resplender. Nesta solenidade celebramos, então, a manifestação de Deus em Jesus como luz, guia e Senhor de todo o universo, incluindo todos os povos e culturas. O texto apresenta um mundo com sua pluralidade de raças e culturas, representado pelos magos do Oriente, que manifesta sua adesão e aceitação do senhorio de Jesus, indo ao seu encontro. Assim, podemos dizer que em sua manifestação, o Senhor aparece quase escondido na simplicidade de um menino recém-nascido com sua mãe, mas se revela abertamente a todos aqueles que o buscam de coração sincero.

O objetivo dos magos é adorar o rei dos judeus (v. 2). Tinham empreendido um longo caminho, inclusive errando a rota, pois foram primeiro a Jerusalém, mas lá não o encontraram, devido a estrutura rígida e decadente da religião oficial. Somente deslocando-se para a periferia puderam, de fato, experimentar o Deus que tanto buscavam. Aqui, está o ápice do contraste que o evangelista quer apresentar: o templo perdeu seu sentido, Deus não habita mais nele; é necessário retirar-se para a periferia, inserir-se na comunidade e, assim, adorar e experimentar a beleza desse Deus que quer apenas misericórdia e amor, e não mais sacrifícios.

Quando perceberam que encontraram aquele que tanto buscavam, "ajoelharam-se diante dele e o adoraram" (v. 11). Essa atitude mostra que, finalmente, se saciaram, encontraram sentido para suas vidas e, portanto, esvaziaram-se de si, oferecendo o que haviam de precioso. A adoração verdadeira, ou seja, o autêntico culto, é aquele feito em "espírito e em verdade" (cf. J 4,24).

Os presentes oferecidos pelos magos, são simbólicos e revelam, por um lado a identidade de Jesus e, por outro, a nova relação entre a humanidade e Deus. O ouro, revela que Jesus é rei enquanto o recebe, mas ao mesmo tempo diz que todas as nações podem participar do seu reino, enquanto foi oferecido por pagãos, pois a pertença ao Reino de Deus não é determinada por raça ou cultura, mas pela sinceridade de coração. O incenso representa a divindade de Jesus, ou seja, é o reconhecimento de que Ele é Deus. A mirra é, antes de tudo, o sinal da humanidade de Jesus, uma vez que era um perfume usado pelos judeus para embalsamar os cadáveres, como acontecera com o corpo do próprio Jesus, quando morreu; porém, no Cântico dos Cânticos, em diversas passagens, a mirra é citada como o perfume da esposa amada, isto é, toda humanidade. O texto termina com uma afirmação de muita relevância para a comunidade cristã e para todas as pessoas de todos os tempos e lugares: os magos retornaram seguindo outro caminho (v. 12). Para viver essa nova relação com Deus, é necessário desviar-se de tudo que quer matar a presença de Deus em nós. Quem faz uma experiência autêntica com Deus, de fato, segue outro caminho.

Concluindo, podemos deixar como reflexão permanente: já quase concluindo o tempo do Natal, quais os caminhos que iremos percorrer de agora em diante? Se serão os caminhos de sempre, ou seja, se continuarmos com as mesmas maneiras de pensar e compreender as coisas, principalmente a nossa relação com Deus e o próximo, Jesus não nasceu em nós... e, se não nasceu, não poderemos manifestá-lo ao próximo!

ORAÇÃO: Falo com Deus à partir da Palavra meditada. O que o texto Bíblico me leva a falar com Deus? Faço uma prece de louvor, agradecimento, reconhecimento ou pedido de perdão.

REVISAR: Recordo o meu encontro com Deus. Anoto o que foi mais importante na oração: o texto mais significativo (palavras, frases e imagens); os pensamentos predominantes; os sentimentos de consolação ou desolação; se houve apelos e como me senti diante deles.

 

 



+ Leitura Orante


Instituto Nossa Senhora das Graças

Irmãs Gracianas

Por Maria tudo ao Salvador!

FAÇA SEU PEDIDO DE ORAÇÃO

Copyrights © MMXVI Irmãs Gracianas | Produzido e Hospedado por Actio Comunicação | Template by W3layouts | Acessar webmail