Home >> Artigos

"O Reino dos Céus é justiça e dom gratuito a todos"

Irmã Raquel Aparecida Fialho, mnsg

25º Domingo do Tempo Comum  

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Ó Espírito Santo, luz em minha vida, inspirai-me neste momento de oração com a Palavra, coloque em meu coração e em meu querer as atitudes que eu devo tomar para que eu viva e compreenda a justiça e a gratuidade de Deus. Amém.

 Cantar: Toda Bíblia é comunicação, de um Deus amor, de um Deus irmão. É feliz quem crer na revelação, quem tem Deus no coração.

1.  Ler e reler o texto de Mateus 20,1-16

Naquele tempo: Jesus contou esta parábola a seus discípulos: 1'O Reino dos Céus é como a história do patrão que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. 2Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por dia, e os mandou para a vinha. 3Às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo, viu outros que estavam na praça, desocupados, 4e lhes disse: 'Ide também vós para a minha vinha! E eu vos pagarei o que for justo'. 5E eles foram. O patrão saiu de novo ao meio-dia e às três horas da tarde, e fez a mesma coisa. 6Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde, encontrou outros que estavam na praça, e lhes disse: `Por que estais aí o dia inteiro desocupados?' 7Eles responderam: `Porque ninguém nos contratou'. O patrão lhes disse: `Ide vós também para a minha vinha'. 8Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: `Chama os trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos, começando pelos últimos até os primeiros!' 9Vieram os que tinham sido contratados às cinco da tarde e cada um recebeu uma moeda de prata. 10Em seguida vieram os que foram contratados primeiro, e pensavam que iam receber mais. Porém, cada um deles também recebeu uma moeda de prata. 11Ao receberem o pagamento, começaram a resmungar contra o patrão: 12`Estes últimos trabalharam uma hora só, e tu os igualaste a nós, que suportamos o cansaço e o calor o dia inteiro'. 13Então o patrão disse a um deles: `Amigo, eu não fui injusto contigo. Não combinamos uma moeda de prata? 14Toma o que é teu e volta para casa! Eu quero dar a este que foi contratado por último o mesmo que dei a ti. 15Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com aquilo que me pertence? Ou estás com inveja, porque estou sendo bom?' 16aAssim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos.' Palavra da Salvação.

O que o texto diz?  Falar uma palavra ou frase que ficou mais forte.

"Ide vós também para a minha vinha". "Amigo, eu não fui injusto contigo. Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com aquilo que me pertence"?

Jesus conta uma história de um patrão, que sai várias vezes para chamar pessoas para trabalhar na sua vinha. Com isso, Jesus quer passar um ensinamento sobre a justiça e a gratuidade do Reino do céu, que não tem nada a ver com a lógica do ser humano. A sociedade valoriza quem produz; Jesus olha e zela pela vida em todas as suas etapas.

2. Meditação

O que o texto diz para mim?

Jesus proclama que o Reino dos céus já está presente quando as pessoas praticam a justiça, o perdão, a fraternidade, a igualdade, a partilha, o bem comum, e, sobretudo, acolhe sua Pessoa, Jesus. O Reino é onde mora o Rei, Jesus, e aonde acontece tudo de bom, quando as pessoas são valorizadas e reconhecidas em sua dignidade, obra prima do Criador. Olhando para dentro de nossas casas, de nossa comunidade eclesial, da sociedade... o que vemos acontecer: O bem comum ou o bem pessoal? A honestidade ou a `esperteza´? A partilha ou o acúmulo? A alegria ou a inveja? A acolhida ou o receio? A proximidade ou a distância? A igualdade ou a injustiça? A missionariedade ou a conservação?

Qual é a compreensão que temos de justiça? De misericórdia? De abertura?

A vinha, na Bíblia, é símbolo do povo israelita, povo de Deus, que hoje, somos nós, a Igreja. Muitas vezes somos fechados diante da novidade de Jesus, temos dificuldades para acolhermos a dimensão do Reino querida e manifestada por Jesus.

O sistema econômico, político, social e religioso contribui para a inserção e participação de todos? Quem está à frente dos poderes enxerga a necessidade de todos? Nos meios sociais e públicos, as pessoas recebem a mesma atenção e são tratadas com a mesma dignidade e respeito?

Na comunidade, na pastoral, nos movimentos damos espaços para os mais jovens, para os que estão chegando agora? Acolhemos a novidade do Espírito Santo?

Reconheço a presença de Jesus em minha vida e na vida das pessoas? Como relaciono, vejo e sinto diante das pessoas? Sou criatura de Deus: já descobri meu potencial e estou colocando-o a serviço do bem comum? Valorizo os dons daqueles e daquelas que convivem comigo?

 3. Oração

O que a Palavra me leva a falar com Deus?

Fazer uma pequena oração de acordo com o texto.

"Feliz a pessoa que confia no Senhor. Ele não se volta para os soberbos e seguidores da mentira. Quantas maravilhas realizaste, Senhor meu Deus! Quantos projetos em nosso favor! Quero anuncia-los, falar deles. Tu não pedes holocausto pelo pecado. Então eu digo: `Aqui estou para fazer a tua vontade´. Meu Deus, eu quero ter a tua lei dentro de minhas entranhas". Amém (Sl 40, 5-9).

4. Contemplação

O que a Palavra me leva a experimentar?

Coloco-me diante de Jesus, numa posição cômoda, com os olhos fechados, respiro profundamente, contemplo toda a cena do evangelho: Jesus e seus discípulos. Jesus conta uma história para passar um ensinamento sobre a justiça do Reino que é abertura, acolhida, convite a todos para participar do novo povo de Deus, que é acolher o próprio Jesus e seus ensinamentos, vida digna e igualitária, participação, direitos e vida plena para todos.

O patrão dessa parábola simboliza Deus, que sai à procura do ser humano e convida a todos para participar do seu Reino. Alguns recebem o convite desde a infância, outros na vida adulta, outros, bem mais tarde.

Esse é o Reino de Deus, almejado e querido por Jesus. Reino acolhedor, inclusivo, não exclui ninguém, basta querer participar dele. Deus está pronto a aceitar o seu serviço, sua colaboração, sua caminhada. Não importa quando a pessoa ouve o chamado de Deus, se na juventude ou na velhice. Deus valoriza todos, que descobrindo o Reino, queiram participar dele não importa se é justo ou pecador. Para Jesus, o importante é a gratuidade, a generosidade e o amor. A misericórdia, a acolhida e o perdão é a justiça de Deus.

Escolher um compromisso para a vida.

Jesus quer a inclusão de todos em todos os setores e dimensões da vida. Como convivo, relaciono com as pessoas que estão dentro de minha casa, na comunidade, no trabalho e em todos os lugares?

Nunca é tarde para fazermos o bem.

Acolher sempre o outro. E jamais, ficar questionando: quem é o maior entre nós? Quem é o mais importante? Para Deus, o que importa é a gratuidade, o AMOR, reconhecer que tudo vem de Deus e destina para Ele.

 Benção final

Abençoe-nos Deus pai e mãe misericordioso em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém!



 

 

 

 



+ Leitura Orante


Instituto Nossa Senhora das Graças

Irmãs Gracianas

Por Maria tudo ao Salvador!

FAÇA SEU PEDIDO DE ORAÇÃO

Copyrights © MMXVI Irmãs Gracianas | Produzido e Hospedado por Actio Comunicação | Template by W3layouts | Acessar webmail